Curta e Siga


Artrose de tornozelo é silenciosa!





A artrose (do grego artros, articulação, e do latim ose, desgaste) também chamada de osteoartrose para muitos médicos e especialistas da área, não é considerada doença e sim um fenômeno natural no decorrer da idade, ou seja, faz parte do envelhecimento do organismo, assim como as rugas e ou manchas senis na pele. Portanto, artrose é um desgaste da cartilagem que envolve nossas articulações ou juntas.

Acesse o blog da Saúde

Já a artrite, que é muito confundida com a artrose e é considerada uma doença, pois a artrite (grego artros, articulação, o do latim ite, inflamação), é uma inflamação da articulação e pode causar dor, calor e vermelhidão.

Podemos concluir que a artrose é mais comum quando estamos atingindo a terceira idade e a artrite pode acometer qualquer pessoa que se submete a determinado esforço mais intenso ou mesmo traumático, desenvolvendo assim, um quadro inflamatório da articulação.

Os tornozelos não são uma região onde a artrose é comum. Isso ocorre pelo fato da cartilagem revestida no tornozelo apresente uma resistência muito maior do que as demais. Assim, a artrose primária do tornozelo é relativamente rara.

Normalmente, os pacientes desenvolvem artrose no tornozelo como consequência de fraturas, lesões ligamentares graves ou doenças inflamatórias (reumatismos). Apesar de menos frequente é uma situação bastante incapacitante, pois a dor costuma ser intensa e muito limitante para as atividades diárias.

A artrose de tornozelo limita a qualidade de vida de muitas pessoas. É uma dor silenciosa e persistente que prejudica a mobilidade e que nem sempre diminui com um analgésico.

Embora seja falado com mais frequência da artrose de quadril e do joelho, a artrose de tornozelo é um tipo de osteoporose muito comum entre as doenças degenerativas.

Algumas simples dicas para prevenir esse tipo de artrose

  • Pratique exercícios de movimentação na piscina.
  • Caminhe por superfícies planas onde não haja desníveis.
  • Mantenha um peso adequado.
  • Evite o uso intensivo de sapatos de salto alto.
  • Procure andar algumas horas descalços pela casa, evitando regiões que possam causar riscos.

Atenção nos seus pés e cuide-se!


Nos Siga nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube . Adicione no grupo do Whatsapp

Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

Nenhum comentário

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!