Incidência da artrose tem relação direta com o sobrepeso e a longevidade humana.










Dor e limitação de funções. Esses são os principais sintomas da artrose, doença causada pela degeneração da cartilagem que reveste as articulações. A cartilagem é uma estrutura que fica entre os ossos e amortece o contato entre eles. Sem essa proteção os ossos ficam em contato direto, o que gera atrito e, consequentemente, dor.

A incidência do problema é maior entre as mulheres, mas ao contrário do que comumente se pensa, a artrose não é uma doença da terceira idade: ela também pode aparecer em consequência de outras condições do indivíduo como obesidade, traumas e desvios no eixo dos membros inferiores. Além disso, pessoas que tem familiares reumatismo ou osteoporose possuem mais chance de desenvolver artrose. As articulações que estão mais sujeitas ao problema são aquelas mais exigidas ao longo da vida, joelhos, quadril e coluna vertebral. Atualmente, existem medicamentos que podem impedir a evolução da doença e proporcionar melhor qualidade de vida ao paciente. Mas tudo depende da precocidade com que o problema é detectado; quanto antes for feito o diagnóstico, menor será a intensidade do tratamento e maior o seu sucesso.

A artrose é, na verdade, o grau final da degeneração da cartilagem e, caso o processo de desgaste não seja interrompido, evolui até a destruição total do tecido. Porém, no caminho entre o início do problema até este estágio é possível realizar tratamentos que estimulam a cicatrização da cartilagem. Por isso, a importância da detecção precoce do problema e, posteriormente, a manutenção da regularidade do tratamento. Cada grau de artrose tem um tratamento específico. Vários medicamentos, que podem ser ingeridos ou depositados diretamente nas articulações estimulam a cicatrização nos casos menos severos. Em situações mais graves, quando a doença já impõe sérias limitações ao paciente, é preciso refazer ou repor a cartilagem através de uma intervenção cirúrgica ou até substituí-la parcial ou totalmente com artroplastias (próteses). A artrose é a mais comum das doenças articulares e sua incidência tem aumentado de forma significativa.

Isso se deve, basicamente, a dois motivos: o aumento do peso corporal da população (dados divulgados recentemente pelo Ministério da Saúde apontam que 48,1% da população brasileira tem sobrepeso ou obesidade) e aumento da expectativa de vida. A idade e a obesidade são fatores de riscos importantes na artrose. A doença também produz forte forte impacto econômico em função da incapacidade que provoca nos portadores. Para se ter uma idéia desta dimensão, no Sistema Único de Saúde (SUS) a artrose é responsável por:

• 7,5% dos afastamentos do trabalho

• 10,5% dos auxílios-doença

• 6,2% das aposentadorias

De um modo geral, a recomendação é a seguinte e vale para todos: prestar atenção ao corpo e não subestimar sintomas. Em muitos casos a pessoa sente alguma espécie de dor, não muito intensa, e negligencia, achando que "não é nada". É aí que mora o perigo. Quando a dor estiver mais forte e frequente é sinal de que o problema já está mais grave e inspira cuidados. Por isso, em caso de perceber qualquer sintoma, o ideal é procurar um médico. Além disso, é importante cultivar hábitos saudáveis, como manter o peso dentro dos limites, adotar uma alimentação balanceada e praticar atividades físicas moderadas e regulares. Sua saúde vai agradecer.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!