Artrose da coluna: identifique e saiba como tratar este problema








Ao chegar aos 40 anos de idade, muitas pessoas manifestam problemas na coluna devido ao desgaste natural. Isso também acontece porque tem sido cada vez maior o abuso de exercícios físicos para conquistar o corpo perfeito. Além disso, existem profissões que exigem esforço físico e indivíduos que adotam o hábito de passar horas à frente do computador ou do videogame, favorecendo o aparecimento de dores intensas na coluna.

Isso pode vir acompanhado ainda de rigidez e dificuldade de movimentação, que podem ser sinais de alerta para a osteoartrite, popularmente chamada de artrose da coluna. De acordo com o neurocirurgião Mauricio Mandel, membro da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia (SBN), o envelhecimento da coluna é um processo que ocorre em todos nós.

— O desgaste dos discos entre as vértebras pode gerar uma instabilidade na coluna. Ao tentar estabilizar a coluna, o próprio organismo acaba formando osso entre as articulações — explica.

A artrose da coluna possui duas classificações: primária e secundária. Na artrose primária, é desconhecida a sua causa. Já a artrose secundária aparece em decorrência de outras doenças como, por exemplo, excesso de uso da articulação, deformidade, infecção ou doença de Paget. As pessoas mais vulneráveis à artrose da coluna são os trabalhadores do setor rural, condutores de transporte coletivo ou taxi e atletas de elite por forçarem as articulações de forma excessiva, segundo o médico.

A artrose costuma ser mais frequente em idosos, mas também acomete pessoas jovens. Um jovem com artrose na coluna dificilmente apresenta sintoma, por isso a doença só irá ser detectada anos mais tarde.

Articulações em perigo

A artrose afeta de forma frequente a coluna vertebral. A dor nas costas é um dos sintomas mais comuns, mas existem outros.

— Muitas vezes a dor lombar não é o principal sintoma. Na maioria dos casos a ossificação das articulações da coluna leva a uma compressão de nervos. Sendo assim o paciente pode sentir dores na coluna e nas pernas — alerta o neurocirurgião.

Nem sempre é apenas uma dor muscular

A dor na coluna não deve ser ignorada. É preciso procurar um especialista para fazer o diagnóstico, que é realizado por meio de exame clínico e de imagem, incluindo, radiografia (raio-X), tomografia computadorizada e ressonância magnética. A artrose da coluna não tem cura, pois é uma doença degenerativa que piora com o envelhecimento. Porém seus sintomas podem ser amenizados com medicamentos para a dor, exercícios e acupuntura.

A cirurgia pode ser indicada quando a dor persiste. As cirurgias mais comuns são aquelas que têm como objetivo a descompressão dos nervos e estabilização da coluna.

— Hoje existem alternativas minimamente invasivas para o tratamento deste problema que possibilitam uma rápida recuperação do paciente — acrescenta Mandel.

Previna-se

Os exercícios de fortalecimento e de postura são adequados para manter a cartilagem em bom funcionamento. Outras medidas devem ser seguidas para melhorar os sintomas e evitar desconfortos. A dor pode piorar com o uso de cadeiras, colchões e assentos pouco firmes. O ideal é usar cadeiras com costas direitas. Fazer exercícios físicos como natação também ajuda. Siga essas orientações para amenizar os sintomas da artrose da coluna:

• Repouse depois da atividade que solicite a articulação comprometida.

• Adote uma postura cuidadosa ao sentar, levantar, na hora de pegar objetos e andar para evitar posições forçadas que sobrecarreguem a articulação.

• Evite pesos e atividades causadoras de impactos repetitivos.

• Use calçados confortáveis que ofereçam boa base de apoio; não use sapatos com os calcanhares desgastados.

• Pratique exercícios isométricos que fortaleçam a musculatura para conferir estabilidade à articulação.

• Evite a obesidade.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!