Curta e Siga


Quais são as complicações da Artrite Reumatóide?






Resultado de imagem para artrite reumatoide

Um estudo realizado por pesquisadores do Hospital Universitário Gentofte, na Dinamarca, constatou que as mulheres que sofrem com a artrite, inflamação nas articulações, podem ter até seis vezes mais chances de ter um ataque cardíaco do que aquelas que não têm esse problema.

A pesquisa durou cerca de 10 anos, período em que os dinamarqueses compararam doentes com artrite reumatóide e pessoas diabéticas. Ao todo, mais de quatro milhões de pessoas foram analisadas, sendo que 10.547 possuíam artrite e 132.868 sofriam com a diabetes.

Os resultados revelaram que as mulheres com menos de 50 anos e que tinham artrite reumatóide apresentam um risco seis vezes maior de ataque cardíaco. Entre os homens, o risco para os que sofriam com artrite era 1,66 maior, enquanto aqueles que tinham diabetes tinham chance 1,59 maior de sofrer um infarto.

Segundo os especialistas, a artrite reumatóide pode ser considerada um fator de risco para o endurecimento das artérias, fato que pode colaborar para que as pessoas que sofrem com a doença apresentem problemas no coração dez anos mais cedo do que outros indivíduos.

Alterações em outros sistemas

Afeta os nervos?

A artrite reumatoide não afeta diretamente os nervos, mas as inflamações no tecido podem causar a compressão deles. Uma das complicações mais comuns que a AR causa nos nervos é a síndrome do túnel do carpo - o músculo que vai do antebraço até a mão é comprimido, o que causa formigamento, dormência e diminuição da força.

Afeta os olhos?

A secura é o principal sintoma dos danos que a AR pode causar nos olhos. Olhos secos são mais propensos a infecção. Além disso, A AR também pode causar esclerite - que são inflamações na parte branca do olho, que tem como sinais vermelhidão e dor -, além da uveíte, inflamação na camada vascular do olho que, por sua vez, pode até causar complicações como glaucoma e catarata.

Afeta os pulmões?

A AR também pode afetar os pulmões causando diversos problemas. A complicação mais comum é a doença pulmonar intersticial (DPI), que acontece quando os pulmões têm inflamações ou cicatrizes que podem comprometer o funcionamento do órgão e atrapalhar a respiração. No estágio inicial, medicamentos podem ser usados para barrar o avanço da doença, mas talvez o transplante de órgãos seja necessário.

Publicado em 8/12/10 e revisado em 05/11/19


Tenha as melhores ofertas do Magazine Luiza: clique aqui!
Nos Siga nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube . Adicione no grupo do Whatsapp

Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

Nenhum comentário

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!